DA JAZIDA BORGES Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Os tomos do que morre reviverão

nas últimas bibliotecas de Borges

destinos manuscritos nos catálogos do eterno

ou em parcos  papéis sem chancela ou consolo

 

os remoinhos da náusea

a sombra das moendas

 

tudo resistirá a ser

que lúcido incenso do vir da luz contemple.

 

Nem incêndio de cotonifícios

nem agendas de desenvolvimentos gravosos

 

ou a lodosa pele dos sinais

ou o titubeante fruto do tempo

 

do varejo da hora que sombreie o inútil

ou primícias esquecidas de propósito

 

impedirão a noite inesgotável.

O rumo imperdoável.