PELO DESEJO (DÍSTICOS EXTÁTICOS) Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Resvalo pela tarde como o cansaço

na piedade de um declive

cruéis fragmentos de abril

deixei ao largo do caminho

 

como quem volta de um país de espadas

voltei de duas lágrimas.

 

Tarde em que viveram lábios

da desnuda intimidade de beijos.

 

Entre a realidade e o desejo

está a verdade (e o destino).

 

Na pegada do óleo de amêndoa esquerda

no rastro do óxido de zinco da tarde

 

na contemplação do níquel

amoedo teu nome, envaso meu desejo eterno.