PARTO E ÉPURA Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Mas eis que as coisas se povoam de deuses

usina de pandemônios desatada

dínamos insones, máquinas sem nome

ímpetos a trabalharem sem temor

procriando criaturas quânticas

nascidas da fé e da albumina

seres únicos de ossos e seixos

do medo e da dúvida vindos chegaram

do choque de hostes místicas e lógicas celestes

de fiéis batalhas

e demiúrgicas liças rebentaram

 

(do amor da relva com o carbono

do nitrogênio com a leguminosa)