DE (DES)ILUSÃO Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Como sair da ilusão? Pague!

Rompa a catraca da imaginação.

Retores adoram licores.

Pretores gostam de mordomias heroicas.

Doutores de gravatas vistosas.

E o poeta? Só de palavras.

Ou de broches de dragões de organdi e náusea.

 

De vivos uivos vive lobo turvo.

 

Rubis monstruosos coagulam

honesto pescoço da rainha.

 

De preces vesgas vive o diabo.

E de amnésias o sonho.

 

O melhor é ser

ilusão de alguém.