SIM Versão para impressão
Escrito por Administrator   

A claridade do cancro é abrupta.

E solene, talvez.

Em ruas submersas apodo

lua de pergaminho redondo.

 

O poder está ermo. Podre como o tempo.

A Terra é um ovo goro.

A laia do estrelato já destoa.

 

Amanhã é outro gado.

O pasto é pisado.

O pago apagado.

Até a querência tem câncer.

 

O cio da carne corta

vil da vida lama poética.

Tudo é vândalo.