EQUINÓCIO E NANQUIM Versão para impressão
Escrito por Administrator   

a Perse

Arde jasmim, foges de mim

porque uivam figueiras

urzes tornam-se cinzas surdas

gritos abaulam silêncio

círios cegos iluminam

com piras de treva féretros em bandeja

lâmpadas de açucena mirram

crescem fachos noturnos

esclarecem última noite

de um homem sobre a terra.

 

À luz do velório ouve-se

rumor de lágrima debatendo-se dos rostos

e olhares de indiferença ao redor

dos desponsais da dor.