AMOR A SÁBADO Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Amo sábado e sua sede nômade

manhãs beduínas e loucos relicários

(além da certeza branca dos domingos).

Sábados que trazem

sob a feérica nudez das noites

louças tênues e lentas, além de sono.

amo sálados, sua tendas de lástima

e tardes náufragas

fendas cafeinadas

e atentas madrugadas

sábado e sua âncoras aminoácidas.

 

Amo também as hostes

dos anjos demolidos da madrugada ébria

e as cinzas das quartas-feiras.

 

Amo as areias onde heróis

deixaram terríveis pegadas das batalhas

logo apagadas.