ROSTO DA NOITE Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Mostra teu rosto, noite derrotada

de ambiguidade percorrida e de sendas sinuosas farta

cheia de rotas ermas e mortas a noite rosna

deserta do límpido sua acólita a sombra

dilúvios de treva não há atormentam

noite imperecível e devassada

noite perfeita, formidável

inolvidável como a morte ou destino

para ter-te, noite perene, desço lasso

ao seio da terra (em mim amanhece o pó)

para ser como ti devoro o escuro

noite terrestre e impura como a morte

noite encarnada de trevas e temores obscuros

noite embalada em sais espúrios

de luz lilás eivada de punhais alvos

noite em quem reconheço as entranhas

da terra a mais vasta e alta noite

me alumia.