EXORTAÇÃO A MÚSSIA Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Abandone, amiga, cara Mússia tão in-

trigada consigo mesma, abandone, dura

leitora, seguidora inaplicável, os escrú-

pulos cronológicos, as idades do simulacro

do rosto ... e se dedique ao que

ainda é incólume da sua aventura

vespertina ou marginal pelas estradas e

catabis da vida parca. Adote o sarcasmo...

e seja feliz (como sarcasta lúdica).

 

Mantenha-se mais próximo do oráculo

do que do dogma... e não mais se

dedique a ilusões sutis.

 

O crasso tempo da fuga e do de-

sencontro, do intraduzível trânsito é in-

vertebrado... e o momento que passa

torna-se fantasma ... não aceita intervalos

vá só ao zênite noturno e se abebere

do insólito e da tinta da extinção.