SETEMBRO MORREU. Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Suicídio dos meses se repete

com minúcia e destino

seus funerais

são o olvido

o esquecimento dura duas moedas

tem duas faces, dois instantes

(o do fim e do renascer sem mim).

 

Setembro teve beijos laicos, longos orgasmos

turquesas, lábios de rubis, cofres amados desejos

e certezas que também morreram.

Cinzas de setembro espalhem

sobre tua alma trêmula

sobre tuas sinas cegas.

Setembro foi dissabor, prêmio

doçura nua, travo

amaros urdires das horas

desânimo, vitória.