E TUDO FOI NAUFRÁGIO Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Estendida das redes célicas estavas

lançando-me a teus olhos

como sinfonias de gladíolos aproximando-se.

Do coro rural das rolas fogoapagou

dos páramos onde a infância se debruçou

ouvirás leitora pedernida que ama antúrios

a mim que não cultuo gerânios

que já ouço teu nome há milanos

 

úmida sonata de rãs da Goiabeira

noturno concerto de gemidos

do palco de riacho perdidos.

 

Do córrego dos Coqueiros

quando a infância naufragou.