VOU AO PAÍS DA MARAVILHA SER FELIZ Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Todos os machos perderão as virgindades (todas)

defrontarão suas ágeis esfinges

e voltando a dormir com as inocentes mães.

Do vazio âmbito de mim sobe

em torrente sem comporta

a náusea de existir.

 

Busco impiedoso espelho (vítreo e fátuo)

mercenário ou não

que me retrate o destino

vou (só) a minha mais

secreta álgebra

à equação clara do meu eu

ao axioma de mim

aos labirintos da alma (purgar-me).

 

Quero ter um desdar. Inlar.

Desdar feliz desdar.

 

Do súbito âmbito da tarde fluí

ao pastoso crepúsculo.

 

Sou a minha própria ruína

Alma mera colcha de retalhos insana

Amo podres escavações

e lençóis pisados.

 

Sou quem? Afinal!

Sei ser nada vital.