POEMAS SENTIDOS Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Vai, querida margarida

puelame, pupila

ao som do zéfiro entardecente

fechar pétalas, ouvir a noite

somente pálpebras róseas abrir

quando o sol cantar no horizonte azul

melodias cristalinas, canções brilhantes

odes de lampejos e fulgor certeiro.

 

Sol foi-se, foice

cerzi-o véu da noite.

 

Margarida vai dormir

tênue sono a dobra

debrua pétalas deixa

noite cloral assome

aflore uma morfeu verde

sobre pupilas aromáticas

narcóticos azuis amares desmaiem.