LUAL ALPINO OU NAUFRÁGIO DA AURORA Versão para impressão
Escrito por Administrator   

Luas de lobo dos crescentes sábados

uivam das veias e covas de Caracas

grassam por tímpanos e sandálias

em guetos octogonais alongam-se

vertem-se sobre domingos alcoólatras

dos rostos nauseabundos derramam-se

como sangue das calçadas noturnas em

coivaras de gemidos vermelhos.

 

Emigram as luas de lobo a tocas hínicas

a seivas e caves de octópedes ou sáurios

à crina das águas dos estoicos mares emigram.

 

Desde a primeira e náufraga aurora

sobre a inviolada primavera

de espadas.