PERCURSO DO VERÃO NO ROSTO E A MORTE DO CORAÇÃO Versão para impressão
Escrito por Administrator   
Quarta, 06 Fevereiro 2019 13:19

Verão perambula no corpo

sepulturas cercam o coração.

Peregrina lágrima ao olho consola

barcas de tristeza deixam

portos que sonhas.

Nos pátios onde relva dorme

cresce delírio, êxtase cresce

áridos sabores rondam-te mãos sem viço.

Restam côvados escuros e verões trucidados

onde enterraram meu último coração.

Ouviram-se cânticos quebrados, bilhas demolidas, sedes vivas

primaveras  loucas, gumes de silêncio afiando

flores de mercúrio, jardins desesperados

quando enterraram o meu coração ferido.

(Perto das rosas e dos cravos

brancos da dor, longe da vida e do amor).